Melhores do Ano – Parte 1

Escrito por Lu

Todo fim de ano muitas pessoas costumam dar pitaco sobre aquilo que mais gostaram nele, nós do CG estamos incluídas nesse grupo! Essa primeira listinha será sobre as coisas que mais se destacaram no meu ano, espero que gostem.

Livros:

  • Em Algum Lugar nas Estrelas:EM_ALGUM_LUGAR_NAS_ESTRELAS_1461958916246843SK1461958916B

O livro da Clarice Vanderpool foi o meu primeiro da Darkside e posso dizer que foi uma ótima aquisição pois além de lindo fisicamente a história é muito boa, daquelas que você começa, termina e depois fica se perguntando porque leu tão rapidamente, os personagens são uns amores por ser um livro só é um sofrimento pois depois dá muita saudade deles, a leitura é fácil, tudo gira a favor da obra.

  •  A Tormenta das Espadas:

images

Eu já falei algumas vezes sobre esse livro aqui e ele é simplesmente maravilhoso, mesmo já sabendo o que aconteceria a história não perdeu a graça, George Martin consegue guiar um livro com 800 páginas, diversos núcleos e personagens sem fazer com que ele perca o ritmo, prendendo o leitor a cada capítulo e surpreendendo ele no final com desfechos inesperados, da metade para o final ocorre uma sucessão de acontecimentos marcantes que dificilmente você veria numa outra saga, é até difícil imaginar que ele tenha tido fôlego e criatividade para uma sequência.

  • Holy Cow:holy-cow

Holy Cow também é outro livro que falo bastante aqui, ele me conquistou p
or ser descontraído e diferente do que estou acostumada a ler, foi bem interessante ver David Duchovny, um ator que gosto muito se aventurando na literatura, estou ansiosa para ler suas próximas obras. Para saber mais leia a resenha!

Séries:

  • Victoria:

landscape-1471018230-embargoed-until-1630-11th-august-1205

Victoria, como o nome já indica, conta a história da Rainha Victoria uma das mais influentes do Reino Unido e que fez história ao lado de seu marido Albert.

A trama desenvolvida pelo canal ITV é menos glamorosa que a do Netflix mas ainda assim é rica em detalhes, outra diferença é que há um certa ingenuidade em Victoria dando um tom mais leve a produção. Jenna Coleman (ex-parceira de Matt em Doctor Who) prova cada vez mais seu talento no papel de destaque sem contar que sua química com o ator Tom Hughes, que interpreta Albert, é enorme vale a pena ver.

  • The Crown

A próxima da lista segue a linha monarquia britânica. Eu comecei a ver a série assim que ela estreou motivada pelo meu amor ao Matt Smith haha mas preciso confessar que a sua atuação foi totalmente ofuscada pela belíssima Claire Foy, nunca havia visto um trabalho da atriz antes e fiquei impressionada com seu talento, tudo condizia com o papel, até mesmo sua postura era a de uma rainha mas não só da Claire se faz The Crown, os detalhes são magníficos tudo foi feito se pensando nos mínimos detalhes e a história é bem envolvente, em nenhum momento me senti entediada ou tentada a ver outra coisa, SÓ VEM S2!

  • Roadies

1032265_0_0_97_1280x640

Não irei falar muito sobre a série pois já a indiquei aqui, inclusive, mencionei nesse post que ela corria risco de ser cancelada e foi 😦 de qualquer forma ela continua sendo uma das minhas favoritas e uma das melhores coisas que eu vi esse ano, ainda guardo um grande carinho pelo elenco e a história.

Álbuns:

Esse ano teve muitos lançamentos na música! Foram vários artistas voltando a ativa, alguns se despedindo e diversos ótimos trabalhos tantos que não poderei citar todos o que é péssimo e me deixa chateada pois amo falar de música mas ok vamos lá, citarei aqueles mais marcantes no meu 2016.

  • Taking One For The Team – Simple Plan:

taking_one_for_the_team_album_coverApós quatro anos sem um álbum de inéditas o Simple Plan lançou seu quinto trabalho chamado Taking One For The Team. Alguns fãs esperavam pouco do cd (inclusive eu) após o anúncio da parceria na produção com o duo 3OH3 e algumas músicas liberadas na rede mas, várias faixas são bem interessantes, a sequência inicial é muito boa e ainda é possível notar uma uniformidade da primeira música a sétima além delas terem a cara do Simple Plan, pode-se dizer que Problem Child até tenta ser uma nova Perfect apenas pela temática das duas serem parecidas. Porém, ao meu ver, o álbum lembra um pouco o penúltimo da banda Get Your Heart On! Sendo menos comercial. Também é visível que algumas faixas destoam de boa parte do cd e apesar dos membros dizerem que gostam de tentar coisas diferentes o fato delas terem sido maioria entre os singles mesmo não sendo unanimidade entre os fãs dá a sensação de que o grupo sente a necessidade de fazer músicas que agradem o mainstream como foi o sucesso global Summer Paradise, infelizmente, dessa vez tal alcance não foi realizado. Em suma, o TeamSP não é nem um pouco o desastre que se previa, tendo até canções que já podem ser consideradas hinos entre os fãs porém deixa a sensação de que a banda pode melhorar mais.

Faixas Preferidas: Farewell e Opinion Overload.

  • California:

blink-182_-_calforniaApós atrasos, brigas públicas e polêmicas o blink-182 lançou em junho de 2016 seu álbum California, o primeiro sem um dos seus membros fundadores Tom Delonge.
California é um como um mix, nele é possível ver a raiz dos caras no pop punk, algumas características utilizadas após o retorno da banda como sintetizadores, além da influência marcante de Travis Barker na bateria. O álbum tem letras bem pessoais algumas inspiradas no passado de seus membros e outras sobre o momento atual deles porém não deixa faltar as letras com piadinhas adultas e ambíguas, além de ter faixas que facilmente se encaixariam no TOYPAJ (5 álbum da banda e meu fav). Apesar de satisfatório o California não é o melhor trabalho do blink, por enquanto ele faz bem o trabalho dos fãs matarem a saudade do trio e paciência para quem não aprova o novo membro Matt Skiba.

Faixas preferidas: Bored To Death, She’s Out Of Her Mind, Cynical e Left Alone.

  • Revolution Radio

green-day-revolutionApós lançar duas opera rock e uma trilogia o Green Day decidiu voltar a tempos mais simples em seu último álbum. Revolution Radio tem a cara da banda, é cheio de músicas que criticam a mídia e a sociedade, após a eleição de Trump na presidência pode-se dizer que os caras voltaram na hora certa pois mais do que nunca precisamos de artistas do mainstream que se posicionem politicamente e façam música sobre a realidade sem medo incomodar as autoridades.

Faixas preferidas:

  • WALLS

kings-of-leon-walls-2016-2480x2480O quinto álbum de estúdio do Kings Of Leon não agradou boa parte dos fãs mas não posso dizer que me encaixo nesse grupo, após escutar o cd e ver comentários da banda sobre o mesmo cheguei à conclusão de que WALLS é um experimento para eles, algo novo que os Followill queriam fazer e fizeram, por isso não há como julgar que eles estejam decaindo musicalmente, concordo que não é o melhor deles mas para quem não importa com tal mudança o álbum cumpre o que propõe, é fácil de escutar, as faixas fluem entre si e não enjoa.

Faixas preferidas: Around The World, Find Me e Reverend

  • Covers:

afc6ed58746abca2fb0909839ed95934d4c16ec7Um álbum de covers bem feito deve ser tão valorizado quanto um de inéditas e é isso que o The Maine fez em sua coletânea lançada no início de 2016.
Em 2015 foi lançado pelo The Maine o Side A, um EP contendo covers das musicas You Get What You Give,
Steal My Sunshine e As Long as You Love Me mas não agradou totalmente os membros da banda que em 2016 lançaram o Side B totalmente surpreendente e realmente melhor que seu antecessor, eles conseguiram trazer uma roupagem nova e totalmente diferente a sucessos como Love Yourself e Bitch Better Have My Money músicas que arrisco dizer que não me agradavam em suas versões originais porém fiquei viciada ao ouvir a versão dos caras.

Faixas preferidas: Love Yourself e You Get What You Give.


Isso é tudo pessoal, comentem o que acharam! E fiquem ligados pois nos próximos dias vocês estarão conferindo as listas da May.

Esse post é dedicado à maravilhosa Carrie Fisher, ícone no cinema e na vida.

Anúncios

2 comentários sobre “Melhores do Ano – Parte 1

  1. Oies… Adorei esse post! Peguei para ouvir o cd do Blink-182 porque amei as músicas “Bored to death” e “She’s Out Of Her Mind”, o álbum inteiro é maravilhoso e viciante ❤ Não sou da geração que curtia a banda, conhecia somente "All the small things" e "I miss you" e esse álbum me conquistou ❤ Bjos da Cah!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s