BEDA: A Metamorfose – Franz Kafka

imigbzsLivro: A Metamorfose
Autora: Franz Kafka
Páginas: 112

Kafka surpreende logo no início do livro com o fato de seu narrador Gregory Samsa ter se tornado um inseto, acontecimento que nos obriga quase que imediatamente a fechar um pacto com o autor e aceitar tamanha aberração. Contudo, o pano de fundo de A Metamorfose é totalmente verossímil, permitindo que o leitor aceite aos poucos a ideia do narrador ser uma barata, lagarta ou qualquer outro animal que venha a cabeça e mergulhe nas páginas sem tanto estranhamento.

Após o choque inicial, Gregory nos inunda com seus dramas pessoais pós transformação, eles são gradativos e mudam conforme o tempo passa, por diversas vezes o personagem se pergunta sobre o que seu chefe faria ao notar seu atraso e por seguinte sua ausência no trabalho; Ao ver que seu estado era permanente ele passa a se preocupar em como sua família iria se sustentar já que ele era o único provedor da casa, e ao aceitar sua nova identidade ele se afunda na procrastinação e nos sonhos que tinha para o futuro.

A palavra que dá nome ao livro também pode ser aplicada a família Samsa. O patriarca da família e talvez o mais frio com relação à metamorfose de Gregory, é obrigado a voltar para o trabalho, a mãe dada como inválida começa a procurar formas de trazer algum ganho para casa e a jovem irmã é obrigada a crescer e enfrentar o mundo.

Por diversas vezes fiquei inconformada com as atitudes dos parentes do Gregory e comecei a julga-los, mas aos poucos e com a ajuda de terceiros, fui entendendo que em diversos pontos me deixei levar por sua narração, o que é muito comum, e me esqueci de analisar o contexto geral. Após tanto tempo, era claro que a forma de inseto do narrador se tornaria indiferente para os Samsa, que sua irmã e seus pais seguiriam a vida, que aquilo se tornaria um fardo já que eles estavam alimentando e cuidando de alguém -algo- que apenas ocupa espaço na casa pois apesar de tamanho esforço eles já não reconhecem mais seu filho/irmão naquele ser rastejante.

A partir da análise na sala de aula também notei que a Metamorfose talvez tenha sido uma benção para os Samsa, tanto para Gregory que se livrou de uma vida medíocre e cheia de obrigações como um caixeiro viajante, quanto para sua família que vivia dentro de um conformismo e uma rotina sabática a ponto de nem mesmo notar o que estava a sua volta, isso é possível notar em algumas passagens do livro como no final quando os pais percebem que sua filha já é uma mulher.

A Metamorfose traz diversas críticas acerca do conformismo e a forma como vivemos a vida e faz pensar; É um livro para se ler uma, duas, três e quantas vezes mais for a fim de extrair o máximo possível e ainda assim é capaz do leitor obter uma ideia diferente dele a cada leitura.

Essa foi a primeira resenha do projeto Letras.01, e aliás, é um livro que dá muito pano pra manga então comentem se concordam ou discordam da minha visão, vai me ajudar na hora da prova haha. A próxima leitura será O Número Zero do Umberto Eco, aguardem. ♥

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s